Pular para o conteúdo principal

Os sonhos são uma extensão da realidade física ? Mais que isso...




Por Robert Lanza,
Cientista, médico, físico, teórico e autor, ‘ Além do Biocentrismo'
Você gasta um terço da sua vida dormindo. E se seus sonhos forem reais? Talvez nossa definição dos sonhos como “sonhos dos justos” seja baseada em um mal-entendido da natureza da consciência e da realidade física.


“Eu sou real” disse Alice (no País das Maravilhas). “Se eu não fosse real, não seria capaz de chorar.”

“Espero que você não ache que essas lágrimas sejam verdadeiras...” Tweedledum interrompeu em um tom de grande desprezo.  Arealidade é na verdade o modo como nossa mente prende tudo junto. Tudo o que experimentamos é um turbilhão de informações que ocorrem em nossas cabeças. O biocentrismo - uma nova “teoria de tudo” - nos diz que o espaço e o tempo não são os objetos duros que pensamos, mas sim as ferramentas que nossa mente usa para unir tudo. Eles são a chave para a consciência, e por que em experimentos com partículas, espaço e tempo - e, de fato, as propriedades da própria matéria - são relativos ao observador. Durante os sonhos e as horas de vigília, sua mente colapsa ondas de probabilidade para gerar uma realidade física, repleta de um corpo funcional. Você é capaz de pensar e experimentar sensações em um mundo 3D.

Nós descartamos os sonhos porque eles terminam quando acordamos. No entanto, a duração da experiência não significa que ela tem menos base na realidade física. Certamente  pensamos que a vida do dia-a-dia seja  super real porque adormecemos ou morremos. É verdade que não nos lembramos de eventos em nossos sonhos, bem como em horas de vigília, mas o fato de que os pacientes de Alzheimer podem ter pouca memória de eventos não significa que sua vida é menos real. Ou que os indivíduos que tomam drogas psicodélicas não experimentam a realidade física, mesmo que os eventos espaço-temporais que eles experimentam são distorcidos ou não se lembram de todos os eventos quando as drogas se esgotam (ainda bem).

Também descartamos os sonhos como irreais porque eles estão associados com a atividade cerebral durante o sono. Mas são as nossas horas de vigília irreal porque elas estão associados com a atividade neural em nosso cérebro? Certamente, a lógica bio-física da consciência - seja durante um sonho ou horas de vigília - pode sempre ser rastreada para trás, seja para os neurônios ou o Big Bang. Mas de acordo com o biocentrismo, a realidade é um processo que envolve nossa consciência.

Em contraste com os sonhos, assumimos que o mundo cotidiano está apenas “lá fora” e que não desempenhamos nenhum papel na sua aparência. Achamos que as coisas são como são e ponto.   No entanto, as experiências mostram exatamente o oposto:  A realidade do dia-a-dia não é mais objetiva nem independente do observador do que os sonhos. A ilustração mais vívida disso é o famoso experimento de dois buracos . Quando você vê uma partícula atravessar os buracos, ela se comporta como uma bala, passando por um buraco ou outro. Mas se ninguém observa a partícula, exibe o comportamento de uma onda e pode passar por ambos os buracos ao mesmo tempo. Esta e outras experiências nos dizem que as partículas não observadas existem apenas como ondas de probabilidade.

Os críticos afirmam que esse comportamento é limitado ao mundo microscópico. Mas essa visão de “dois mundos” (isto é, um conjunto de leis físicas para pequenos objetos e outra para o resto do universo) não tem base na razão e está sendo desafiada em laboratórios ao redor do mundo. No ano de 2009 ( Nature 459 , 683, 2009), os pesquisadores mostraram que o comportamento quântico estende-se para o cotidiano. Pares de íons vibrantes foram persuadidos a se entrelaçar, de modo que suas propriedades físicas permaneceram unidas quando separadas por grandes distâncias (“ação assustadora à distância”, como disse Einstein). “Tais situações não são observadas na natureza”, afirmam os autores. “Isso pode ser simplesmente devido à nossa incapacidade de isolar suficientemente o sistema de interesse do ambiente circundante - uma limitação técnica.” Outras experiências com moléculas enormes chamadas “Buckyballs” também mostram que a realidade quântica se estende além do mundo microscópico. E em 2005, os cristais de KHC03 exibiram cumes do emaranhamento uma meia polegada de altura, comportamento quântico que cutucam no mundo ordinário de objetos da escala humana.

Seja acordado ou sonhando, você está experimentando o mesmo processo bio-físico. Isso mesmo!   Elas são realidades qualitativamente diferentes, mas se você está pensando e sentindo, é real.  Igual a famosa declaração de René Descartes Cogito, ergo sum (“penso, logo existo”).

O livro O Biocentrism   estabelece a explicação científica completa da teoria de tudo de Lanza. http://www.huffingtonpost.com/news/biocentrism/